sexta-feira, 18 de março de 2011

O que significa a Imperfeição?



Este é um questionamento que hoje, mais do que nunca, estou tentando responder pra mim mesma!
Acho que é a primeira vez que começo a escrever, sabendo exatamente do que quero falar... Talvez no decorrer do texto eu responda, ou só fique ainda mais longe de respostas...

Afinal, o que significa a total, a completa imperfeição?!

Por que o amor, a amizade, todos os bons sentimentos do mundo não são suficientes para fazer de nós, seres perfeitos? Pra sermos HUMANOS de verdade, precisamos carregar essa dose de imperfeição em nós. Não adianta... Sempre haverão os dias em que ficaremos tristes, que diremos o que não queríamos dizer, que ouviremos o que não queríamos ouvir, faremos o que não queríamos fazer... Não existem relacionamentos perfeitos como aqueles que a gente só vê nas novelas, que só existem no mundo da ficção... Porque na vida real, os relacionamentos são acima de tudo Humanos. Eles não contam com a certeza do final feliz, com a certeza de que tudo vai dar certo e no "fim" tudo vai se resolver. Precisamos lutar para que tudo dê certo... Precisamos aprender a amar verdadeiramente para termos não um "final" mas uma vida feliz... Uma vida digna! Precisemos aprender o sentido real da palavra "fidelidade" e aprendermos principalmente a sermos verdadeiros, fiéis com nós mesmos... Pois só assim conseguimos transmiti-la para os outros...
Bem cedo a gente aprende que a vida não é um conto de fadas, não é uma novela onde tudo vai acabar bem de forma natural... Para que tudo fique bem, precisamos fazer por onde... Precisamos entender que nosso caminho vai ser árduo também... Que podemos vibrar, sorrir, e nos alegrarmos em vários momentos... Mas eles vão apenas nos fortalecer para enfrentarmos os momentos difíceis! 

Que virão... Sem sombra de dúvidas eles virão!!!

Essa certeza, longe de me fazer pessimista, faz como que eu tenha meus pés fincados no chão... Mas não impede que eu me permita voar de vez em quando... Nós precisamos aprender a ver os nossos obstáculos como degraus.. Degraus, que se soubermos subir, nos levarão para o nosso ápice. Por que eu também não tenho dúvida, que somos todos, altamente capazes de alcançá-lo! Mas pra isso, precisamos de sabedoria! Sabedoria para saber selecionar aquilo que guardaremos, aquilo que levaremos conosco na estrada da vida e aquilo que precisaremos abrir mão. Aquilo que precisaremos deixar pelo caminho, porque não dá pra levar tudo nas costas! Quando a carga tá pesada demais, é hora de parar, avaliar tudo aquilo que estamos carregando e nos desvincular daquilo que não nos acrescenta, daquilo que só pesa, sem trazer nenhum tipo de benefício... E aí é hora de deixar no caminho... Na maioria das vezes não conseguimos fazer essa seleção... Dói deixar aquilo ali... Mas chega a hora de guardar apenas no coração! Que sem nenhuma dúvida, é o guardião mais fiel de qualquer coisa que nos dispomos a deixar sob sua guarda... Inclusive os maus sentimentos. Daí a importância de saber selecionar, jogar fora o que não presta, cuidar do que é verdadeiro e deixar todo o resto passar! Daí a importância de nos conhecermos, de saber o que é importante de verdade, o que é realmente nosso. Na realidade, nunca teremos nenhum tipo de certeza em relação a isso. Sempre haverá a possibilidade de chegarmos lá na frente e nos questionarmos se fizemos a escolha certa... Mas talvez seja este o preço... Nunca saberemos como "seria" se tivermos feito diferente no passado... E semelhante a isso, também nunca saberemos como "será" no futuro... O que temos é o presente! É nele que escolhemos, avaliamos, selecionamos, choramos, amamos, nos arrependemos... É só nele que VIVEMOS!

Cada detalhe desse, são apenas aspectos da nossa Imperfeição.
Nossa condição HUMANA, faz com que sejamos assim: Imperfeitos... 
Eu realmente não sei o significado disso. A única certeza que tenho é que não podemos nos tornar vítimas da nossa própria história. Precisamos aprender a lidar com essa imperfeição, que não é só nossa... Ela caracteriza também, todos aqueles que encontramos no nosso caminho... Não há amor que faça com que ela seja despercebida. Mas o mais fantástico de tudo isso, é que SÓ o amor é capaz de fazer com que ela seja compreendida... Por mais que nem nós mesmos saibamos o porquê disso.

Monique Santana.

quarta-feira, 16 de março de 2011

E-X-A-G-E-R-A-D-A!


EXAGERADA. 
Talvez seja este, o meu sobrenome. No sentido mais amplo da palavra. Minhas doses de amor e minhas horas de raiva (passageira) são facilmente equiparadas. Se amo, amo até demais. Quando é pra chorar, choro pra valer. Se é pra dançar, pra sorrir, pra gritar, pra reclamar, pra lutar, pra se divertir, faço tudo isso EXPLOSIVAMENTE.

 Isso me custa lágrimas de muita dor... Ou de muito amor.
 
E, verdadeiramente, eu não sei até que ponto isso me confere algum benefício... Sei menos ainda, quais as verdadeiras consequências das minhas explosões sucessivas e... confesso: as vezes, desnecessárias. Mas acredite se puder: Não é proposital. Se eu pudesse descrever, não sei... Acho que chamaria de explosões involuntárias. É isso: Como as pulsações do meu coração: Incontroláveis, porém, vitais. Sim, vitais!

Estou aqui tentando explicar pra mim mesma o porquê de viver sempre assim em CAIXA ALTA.  Muito embora as críticas sejam constantes e às vezes, duras...Eu não sei se faço questão de explicar isso pro’s outros...

...Na verdade eu sei bem que não me esforço nem um pouco pra isso. Pouquíssimas opiniões alheias são relevantes. O que sei mesmo é  que só consigo ser assim!  Até porque eu tenho a plena consciência de que a intensidade com que eu vivo cada dia da minha vida, é que faz com que eu seja exatamente o que sou e como sou.
Monique Santana.

sábado, 12 de março de 2011

...

Cada pessoa que passa por nossa vida, carrega consigo uma história de vida. Cada sorriso, cada olhar, cada lágrima, que muitas vezes desconhecemos o motivo... Cada detalhe das nossas emoções que transparecemos superficialmente no dia a dia é apenas uma parte sutil da vida que vivemos, que é muito maior do que as nossas ações e emoçoes isoladas...
Os olhares, as vezes tão tristes, tão cansados, tão envergonhados algumas vezes, são o reflexo devidas sofridas. De experiências que machucam, que podem signficar amadurecimento, mas também podem traumatizar, podem calar... O silêncio de um olhar, muitas vezes nos diz mais do que longas conversas... Nossas palavras são mais eficientes na hora de esconder a verdade, mas um olhar... Não consegue mentir! Todos eles são cercados de mistérios, de significados que muitas vezes jamais são desvendados... É através dele que expressamos os nossos sentimentos com a maior sinceridade que pode existir... Nossas ações devem ser racionais e nem sempre estão de acordo com os nossos desejos, as palavras que proferimos nem sempre correspondem ao que sentimos, mas os nossos olhares... Eles não mentem. Simplesmente por que não precisam mentir! Simplesmente por que são silenciosos, porque não atingem a todos... Para entendê-los, é preciso sensibilidade, é preciso saber olhar também...
Mas estamos num mundo em que enxergamos cada vez menos os olhares... É tudo tão corrido, é tanto individualismo... Que coisas essenciais vão sendo deixadas de lado... Um abraço, um beijo, um sorriso, um OLHAR... São coisas que se tornam cada vez mais raras! E se muitas vezes não conseguimos olhar nem pra dentro... Não conseguimos entender nem a nós mesmos...Imagine olhar pra fora!
Não dá pra olhar pro outro... Estamos preocupados demais com NOSSA vida, com o NOSSO trabalho, com a NOSSA família, com os NOSSOS amigos, com os NOSSOS sonhos... Não dá pra enxergar o outro! Não dá pra enxergar o verdadeiro próximo, que é aquele que passa por nossa vida, mas não se enquadra em nada o que é NOSSO: Não é amigo, não é mãe, não é pai, filho, irmão, tio, tia, sobrinho, vó, neto, bisneto, primo, prima, irmã, afilhado, madrinha... Ou seja, não está no rol daqueles que amamos, que queremos bem... Não dá pra olhar quem não esá neste círculo, que se torna cada vez mais fechado, cada vez mais difícil de ser preenchido com outras pessoas... Nos fechamos, porque  talvez assim seja mais fácil!
O mundo tem problemas demais... Não dá pra resolver todos eles. Mas temos constantemente a oportunidade de salvar vidas... De tentar entender esse outro, apenas por ele ser humano como nós... Apenas por imaginarmos que como nós ele sente, ama, tem sonhos, chora, sofre.. Cada vez se tornam mais raras as pessoas que não se deixam alienar e se preocupam não apenas com seus proprios destinos, mas com o mundo que querem deixar para seus filhos, netos, bisnetos... E para os seus próximos!!
Isso muito me anima... E temos exemplos que essas pessoas ainda existem! Precisamos de pessoas que saibam olhar para o outro, para que aprendam a entender os olhares que encontram na estrada da vida... ♥

Monique Santana.

sexta-feira, 4 de março de 2011

...


Essa sensação de que estou no caminho certo muito me fortalece, muito me ajuda a seguir em frente...
É incrível como sempre aparece em nosso caminho pessoas especiais, que a gente percebe logo, de cara, que serão companhias para toda uma vida... Estou numa nova fase da minha vida! Essa sensação de recomeço, de adaptação está acompanhada com tantos sentimentos bons, que a mudança dessa vez, não me parece assustadora. Acredito muito nesse novo caminho e estou encontrando nele, pessoas que compartilham comigo essa crença e me fazem perceber que ele não vai ser tão longo quanto eu imaginava.. Pelo contrário! 
Chega um momento da nossa vida, que a gente começa com essa mania de cronometrar tudo, de querer saber quando começa e quando vai terminar, se preocupando tanto com o tempo que temos para concretizar os nossos sonhos, objetivos, planos... 
Esquecemos que para cada sonho, seu tempo.

Temos sim, TODO O TEMPO DO MUNDO!


Mas quero ter a sensação de um NOVO começo, viver cada fase dele...
Existem pessoas, existem forças, existem amores e paixões anteriores a tudo isso, que me acompanham, que estão ao meu lado... Chegam novas pessoas, novos amigos que serão sem nenhuma dúvida, somados! Pessoas que também estão se tornando parte desse novo caminho, que talvez sem elas, não seria tão fascinante... Era preciso ter ao meu lado pessoas que me acompanhassem nesse caminho.. E já encontrei, desde tão cedo...
(Carol, Ludy... Que fique registrado desde já nossa parceria... rsrs)
Caminho este, que parecia tão distante algumas vezes, tão ilusório algumas outras e até arduo de vez em quando... Mas agora eu vejo que já estou nele e só depende de mim dar continuidade a isso, ele é real e acima de tudo, extremamente belo! Agradeço muito a Deus por tudo isso, porque eu tenho a mais abslouta certeza que sem Ele, nada disso seria possível... 

OBRIGADA SENHOR!

Monique Santana de Oliveira ♥

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Feliz Aniversário Meu Amor!!!



 Parabéns Meu Amor!!

Eu Te amo Muito!!


 







"Até parece que você já tinha o meu manual de instruções. Porque você decifra os meus sonhos... Porque você sabe o que eu gosto e porque quando você me abraça, o mundo gira devagar!"




Eu que me sinto presenteada no dia de hoje, por ter você ao meu lado...

... E a coisa mais especial, mais sincera e mais verdadeira que posso te oferecer hoje, é o meu AMOR!

 


 Hoje... E SEMPRE!




"Não te troco nessa vida por ninguém! 
Porque eu te amo, eu te adoro meu Amoooor!!!"







 Beijo da sua eterna namorada... ♥

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

S A U D A D E

Olhando fotografias, pessoas momentos... Todas as lembranças parecem reviver e a impressão é que não mudei tanto assim, porque consigo sentir, bem forte aquela essência, que na verdade, sempre esteve aqui comigo. Amadurecer é necessário. Transformar aquilo que machuca também. E eu sei que consegui fazer isso com muita competência. Com muito esforço também. E no momento certo. 
Mas existem boas lembranças, bons momentos, boas pessoas. Porque essa parte é a que fortalece. É a que deixa saudade também. É bom olhar pra trás e perceber que meu alicerce é forte. Que mesmo com todos os erros que já cometi e todos aqueles que precisei perdoar não me minimizei em nenhum momento, nem tornei os outros menosres. Ao contrário disso, me fortaleci. Não me permiti esquecer que faço parte da humanidade. E sou humana até demais! É certo que perdi algumas coisas, mas ganhei outras. Não dá pra medir a importância do que perdi, mas preciso saber o valor de tudo aquilo que conquistei. Até porque, eu pelo menos acho, que já passei da fase de ficar valorizando o que nem existe mais. Mas as lembranças ficam. Essa é a parte boa. São tantas as vivências que temos, mas muitas delas se perdem no tempo. Até porque isso é necessário. Precisamos mesmo selecionar o que queremos lembrar. Algumas coisas não deixam saudade, temos que deixar pra trás mesmo. E felizes das pessoas que conseguem fazer isso.
Os amores passam, as festas, aquelas conversas das madrugadas, os filmes que assitimos, os momentos da infância, da escola, da faculdade, até mesmo algumas supostas amizades... Mas as lembranças boas, os aprendizados, tendem a permanecer com a gente. Ou pelo menos deveriam. Hoje sinto uma saudade imensa de tantas coisas, tantas pessoas, tantos momentos. Muitos deles não fazem mais parte da minha vida, mas fazem parte de mim. Me fortalece saber que tudo que era verdadeiro ficou. Até porque aquilo que não é, tem mais é que passar mesmo. 
Fico feliz de estar vivendo coisas novas. E por hoje saber sentir uma saudade, sem precisar retroceder.

Monique Santana. ♥

quarta-feira, 26 de maio de 2010

É esse o teu caminho.

Levantar a cabeça. Olhar pra frente. Acreditar!
É pra frente que se anda, muito embora as experiências que passam sejam responsáveis pelas nossas bases mais sólidas. É difícil pra todo mundo. Ninguém falou que ia ser fácil. Então vamos lá. Levanta desse chão aí minha filha, sacode a poeira que pode ser que o próximo tropeço esteja bem próximo, não dá pra arriscar. Tuas quedas precisam te ensinar alguma coisa. Nas próximas, tenha certeza que vai doer menos. Mas doer menos, não é deixar de doer. Então não perde tempo. Você não acha que já perdeu demais? Eu também admito que muito você já conquistou, mas será que já esqueceu do caminho que você percorreu? É claro que não. Você concorda comigo quando digo que não foi fácil. Mas nisso, ninguém nunca te enganou, nem você mesma. E mesmo sabendo disso, não lembro de estar nos teus planos a palavra "desisitir". Então porque esse desânimo? Já disse: Levante daí e recomece.
O recomeço também não é fácil. Refazer alguma coisa é sempre complicado. Até porque geralmente, precisamos repetir algo que por algum motivo, não deu certo. E é normal que a insegurança te acompanhe por algum tempo, mas relaxa... Te garanto que isso é passageiro. O recomeço se torna mais fantástico do que o proprio começo. Porque é quando temos oportunidade de reconhecer as falhas mais graves e principalmente o que podemos repetir, por saber que deu certo. E eu sei que você sabe que embora árduo e por vezes, cruel, esse é o caminho. É o teu caminho. E você não pode permitir que esses resultados negativos (do ponto de vista mais prático) te façam desistir. Você sabe que não é por aí. E aproveita e me responde uma coisa: O que é que você já conseguiu nessa vida sem lutar? E o que é afinal, lutar? É só vencer? Você sabe que não. Já ouviu dizer que numa disputa, a virada é sempre mais fascinante? Assim você aprende mais. Tudo bem, eu entendo que a humanidade que carrega dentro de si, te faz imperfeita. Mas a imperfeição também tem seus méritos. E você tem conquistado todos eles incrivelmente. Então continua o teu caminho e não esquece que é bem por aí mesmo. E se não fosse assim, não faria o menor sentido. Porque isso faz parte de você e inevitavelmente, é por aí que você tem que andar...

Monique Santana.

sexta-feira, 12 de março de 2010

É disso que preciso.

É que são tantas dúvidas, tantos pensamentos, tantas expectativas, tantas esperanças que se confundem com os tantos medos... Toda essa busca de conclusões, de estabilidades, que na verdade, sempre são tão instáveis, essa avidez por respostas, pelos resultados, pela descoberta do que me espera nesse caminho é simultaneamente longo, e tão incerto... As vezes, até obscuro! Por mais que tenhamos tantos planos, tantos sonhos... Sabemos que o amanhã é algo desconhecido, e que a nossa participação nele é, também, desconhecida.É claro que não é por isso que deixaremos de lado tudo aquilo que sonhamos em viver. Porque os sonhos, eles estão sempre projetados para um momento futuro. E se nos apoiarmos apenas nas nossas certezas, bem pouco teríamos ao nosso dispor. 
Mesmo correndo o risco de não realizar, de seguir por um caminho diferente daquele que o meu coração tanto deseja, eu não vou desitir de sonhar. Os sonhos não envelhecem. Tudo bem que amadurecem bastante, se tornam até mais "racionais", afinal, eles são frutos das nossas experiências. (Compare seus sonhos de criança, com seus sonhos de adulto e perceba isso... rs) Realmente, "nenhum de nós sabe onde vai parar", mas é importante sabermos onde queremos chegar. Não que isso seja uma tarefa fácil! E sim necessária.
Tudo aqui dentro continua "a mil". As dúvidas parecem ser cada vez mais fortes. Os medos ainda maiores. Mas a esperança, sempre se sobressai. E assim, percebo que tenho muito mais do que preciso... Porque é daí que vem a minha Força.

Monique Santana.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

A grande responsabilidade é minha.

Tudo fervilha aqui dentro. Um turbilhão de memórias tomam conta da minha mente, do meu coração... Bem como milhões de sonhos que me dão uma fantástica sensação de que realmente estou no caminho certo. Que é assim mesmo que eu posso ir vencendo os obstáculos, trilhando a cada dia, novas histórias e recriando os sonhos que se renovam constantemente. Olho pra mim e vejo alguém que acredita em si, que sabe o que quer... E que tem certeza da força que isso me traz. Mesmo que tudo seja incerto, mesmo que eu esteja apenas no início, sei o quanto isso me fortalece. E quando tudo é tão difícil, quando me sinto tão fraca, quando tudo parece ser trevas e escuridão, eis que um novo dia se abre para que as minhas esperanças se renovem e para que a Luz do dia sirva de ânimo e me traga a certeza de que não há noite que não seja vencida pela luz do Sol. E seguindo pela mesma via, eu me certifico de que em algum momento, tudo isso que é apenas sonho, poderá se tornar real. E como a minha participação é essencial para isso... Se eu mesma não arregaçar as mangas, enxugar as lágrimas, e sacodir a poeira... Não haverá quem faça isso por mim. Simplesmente, porque ninguém pode viver a minha vida em meu lugar. As pessoas podem me amar, me acompanhar, segurar em minha mão... Mas as experiências, serão sempre minhas. E o resultado delas, dependerá sempre de mim. Disso, ninguém pode escapar. Tudo seria mais fácil se pudéssemos transferir essa responsabilidade para os outros. Mas se assim fosse, boa parte do que há de fantástico na vida se perderia. Então, agradeço porque as coisas são assim. Assumir uma posição de vitima, não vai me ajudar. E aí o que me resta, mas também não deixa de ser uma escolha, é olhar pra frente e provar pra mim mesma que eu posso enfrentar o que vier. Eu me responsabilizo por isso. Quando estiver quente, eu estarei fervendo.
Monique Santana.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Acho que está na hora de atualizar. Meu primeiro post de 2010, já deveria ter saído. Nem sei porque justifico, afinal se alguem lê, pouco comenta... rs Mas o fato é que isso não me importa muito. Escrevo pra mim. E isso me faz bem... Tornar o mundo real em algo inteligível, é algo que me empolga bastante. Apesar de ser difícil também. Mas eu estou feliz. E não posso deixar de falar comigo mesma sobre isso. Terminar um curso universitário e começar outro logo assim, de cara... É loucura para alguns, bobagem para outros... Mas para mim, isso tinha se tornado um ideal. E agora, estou a alguns passos de um novo caminho, um novo horizonte. E finalmente, estarei fazendo o curso dos meus sonhos. Não aquele que a gente sonha quando é pequeno, quando alguém nos pergunta: O que você vai ser quando crescer? Mas, aquele que a vida te ajudou a escolher. Aquele que a vida te ensinou a sonhar. Mesmo sendo algo que não passava pela minha cabeça há algum tempo, agora é o que me anima a passar mais 5 anos estudando. E a ideia me agrada muito. 2010, eu jpa sabia que seria um ano de muitas mudanças. No campo profissional principalmente. Eu só não sabia que a vida me reservava tamanha vitória. E agora, é so agradecer a Deus, comemorar e correr pro abraço... Como diria uma grande amiga...
Luna, te amo!
Monique Santana.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

"O show tem que continuar."

Sei que em muitos momentos da vida, nos sentimos pequenos. E digo isso no plural, porque sei que não sou a única que se sente fraca, que chora, que grita, que tem medo... A dor, ela tem o poder de nos fazer sentir que somos menores do que realmente somos. Nossas expectativas diante da vida, quando frustradas, machucam. Lutamos, esperamos, mas nem sempre no final de tudo as coisas estão como desejávamos no início do caminho. E muitas vezes, nos esquecemos de quem somos. E então, perdidos, achamos que perdemos também a força para lutar. Muitas vezes, queremos carregar de uma só vez, o que levaríamos uma vida para transportar. Tantas outras, tememos a partida, quando ela é a saída para encontrarmos o que nos falta. Nos prendemos em relacionamentos que sufocam mais do que acolhem, que cobram mais do que se doam... Por medo das ausências! O medo, que é um preconceito dos ânimos, que existe para ser superado. Muitas vezes, tememos até mesmo sonhar! E porque? Esquecemos que somos capazes. Que as estrelas estão no céu, mas podemos alcançá-las. Esquecemos que podemos errar nos caminhos. E as vezes, precisamos partir. Precisamos dizer adeus. E quando conseguimos fazer isso é que entendemos como a vida pode ser generosa ou cruel. Na maioria das vezes, é uma questão de escolha. Mas quem disse que escolher é fácil? Aprendi desde muito cedo, a importância de cultivar boas sementes no decorrer da vida. Porque são os seus frutos que iremos colher, mais cedo ou mais tarde. Hoje, me comporto diante da vida como uma atriz perante as câmeras: Ela tem que ser um verdadeiro espetáculo! Isso não significa que tudo tem que ser perfeito, mas significa sobretudo, que eu não posso deixar o show terminar antes de chegar a verdadeira hora de dizer adeus. Se erro, peço perdão. Se ganho, celebro. Se perco, lamento! Se estou feliz, me entrego de corpo e alma a essa felicidade. E se estou triste, dou o mínimo que posso. O espetáculo da vida não é feito apenas de vitórias. Pelo contrário... Ele consiste em aprendermos com as nossas experiências. E elas nem sempre são as melhores. E posso te garantir: É bom que seja assim. Porque é no momento que estamos na escuridão que entendemos a importância da Luz. E só assim, aprendemos a dar valor ao que temos. A quem temos. E ao que sonhamos em ter... E não importa se você consegue realizar todos os teus sonhos, ou sempre é obrigada (o) a reinventá-lo e entender que os caminhos precisam ser outros... Se você consegue fazer isso, ao invés de se minimizar, já mostra parte da sua grandiosidade. O mais essencial em tudo isso, independente dos resultados das nossas experiências... É que o Show não pode parar... Ele tem que continuar!
Monique Santana.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

"A humanidade é desumana... Mas ainda temos chance!"

Se todos nós, com características "humanas", fôssemos realmente humanos, o conceito de humanidade seria mais plausível. Ao mesmo tempo em que significa "Natureza humana", Humanidade, significa também "benevolência, compaixão". No entanto, nossas experiências cotidianas, nosso contato diário com as pessoas nos mostram, como muitas delas estão longe de colocar compaixão ou alguma dose'zinha de benevolência em suas atitudes. Do mesmo jeito que com um abraço, um sorriso ou uma só palavra podemos salvar a vida de alguém, mostra-la que a vida não é tão dura, que existem as coisas boas; essas mesmas ferramentas podem fazer exatamente o contrário. A falta delas ou o mal uso, podem sim estragar a vida de alguém. Se parássemos para refletir sobre isso, será que pensaríamos mais antes de agir? Dói me incluir nisso, mas eu sei que também tô nessa. E fico tentando rastrear as palavras que ando proferindo no meu dia-a-dia e contesto: Até que ponto estou sendo verdadeiramente humana? E isso começa a me inquietar porque quando somos vítimas de palavras duras e injustas, é bem mais fácil enxergar o problema e através dos erros dos outros, medir as nossas próprias falhas. Porque é algo que não quero me aproximar. Eu preciso medir as minhas palavras sim, para que elas sejam responsáveis por grandes conquistas, por méritos e não por grandes erros ou perdas. E não é que eu queira acertar sempre (na verdade, erro bastante), não é que eu queira ser melhor do que ninguém (Que nada! Me comparar com quem quer que seja não vai aumentar nem diminuir aquilo que já sou!)... O que eu realmente quero é diminuir a minha parcela de culpa nessa desumanidade e nos meus gestos mais simples tentar encontrar um pouco mais a cada dia o Cristo que habita aqui dentro de mim. Porque Ele que me direciona e me ajuda a fazer escolhas, a seguir caminhos... Mas a minha "natureza humana" faz com que eu seja egoísta, birrenta, encrenqueira, que eu fale sem pensar inúmeras vezes, que eu estrague os dias de muitas pessoas que depois, refletirão sozinhas as palavras que ouviram; posso ser alguém ou ninguém na vida delas, mas as palavras ficam em muitos momentos. Tanto as boas quanto as más. E talvez o que eu ouvi hoje, mesmo vindo de alguém que "é ninguém" pra mim, serviram para isso... Para que eu reflita mais e tente ser um pouco mais humana através das minhas palavras. E só pra recorrer a Renato que "empresta" suas palavras ao título desse texto, concordo com ele mais uma vez: "Temos todo o tempo do mundo..."
Monique Santana.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

10 Meses... ♥

"Amor verdadeiro... Amor sem palavras! Que chega sem medo, que não se acaba... Deus abençoe todo esse Amor! Que seja Lindo em teu coração... Porque em mim, eu sei: Amo Você!"

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

"Não se preocupe, você está linda."

Enquanto me olhava no espelho, meio que entusiasmado pela dose de álcool que já tinha consumido, com palavras meio desconcertadas ele proferiu um inesperado "Não se preocupe, você está linda." Foi a primeira vez que ele se dirigiu a mim, me vendo como uma mulher (ou uma menina talvez!). Naquele momento, pouca coisa fazia sentido, inclusive a dose de sinceridade de uma frase que não trazia nada de subentendido. Assim como lembro das palavras, lembro também a roupa que eu usava... Uma saia florida em tons de rosa e uma simples camisetinha branca! O que não me chega a memória é o som dessas palavras. É que só depois elas ganharam algum significado. Andamos lado a lado, sem nada conversar e na companhia de outras pessoas que trocavam passos daquele mesmo caminho cheio de areia que acinzentavam os meus pés calçados naqueles alvos chinelos de dedo. Mas não fazíamos idéia do que aquilo significava, porque ali, naquelas circunstâncias, não fazia a menor diferença. Por ironia do destino, ou por determinação dele, estávamos na mesma casa. Me lembro daquele chinelo vermelho e preto que estava lá no meio da casa quando acordei, cheio de areia das ruas daquele pequeno lugar, e senti vontade de lavá-lo. Eu sabia que era dele e sabia que ele agradeceria. E eu queria que ele se dirigisse a mim novamente. Mas não lembro se ele o fez. E não lembro também de como foi a nossa volta pra casa. Sei que depois dali, ele descobriu meu telefone. E eu atendi suas ligações, que não foram muito frequentes nem marcantes quanto a primeira frase. Mas eu gostava de atendê-lo. Não acreditava muito no que eu ouvia, mas só sei que gostava de ouvir. E a frase se repetiu em outros momentos, os passos se encontraram em outros caminhos e finalmente, numa noite de verão os lábios também se encontraram com um beijo. Mas eu não me lembro mais do que aquela noite de fevereiro significou; porque o primeiro passo já tinha sido dado... Aquele "Não se preocupe você está linda", pouco sincero ou verdadeiro demais, tinha se petrificado em minha memória... Ali marca o começo de tudo! E depois do primeiro beijo, vieram muitos outros. Alguns acompanhados de muitas lágrimas e outros de muitos sorrisos. Mas, caminhamos juntos. E construímos o mais importante de tudo... O Amor. E embora as mágoas, as dores, e toda a estranheza dos primeiros beijos e os primeiros passos, bem como a magia daqueles momentos tenham sido levadas pelo vento, sabemos que a vida nos deixou o mais importante. E embora os dias voltem, os minutos são sempre outros. Aquelas primeiras palavras ainda visitam a minha memória e todas as outras, de todos os dias, enriquecem os meus instantes e fortalecem o meu coração. E é só por causa de tudo o que vivemos posteriormente é que aquelas palavras fazem tanto sentido assim.
Monique

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Hoje, na torcida. Sei e reconheço o quanto que ela é importante. O quanto que a vontade de vencer, a crença de que se é capaz, a fé que os sonhos podem se tornar reais, o quanto que tudo isso é decisivo para que tudo relamente dê certo. A minha vida (e não só a minha) é feita de batalhas! E durante muito tempo, lutei sem armadura, sem proteção alguma e um golpe doía mais do que o normal, porque era à seco mesmo. Mas chega o momento em que se aprende a desenvolver algum tipo de proteção. E a minha, é o otimismo. Preciso acreditar em mim. Acreditar que não é por acaso que sinto o que sinto, que sou o que sou. Porque não é mesmo! Hoje eu sei o que eu quero da minha vida e principalmente o que eu não quero! Hoje eu olho pra mim e vejo uma pessoa mais forte, menos vulnerável, mais paciente, mais compreensiva, mais consciente... Mais velha também! Mas isso me faz experiente. E aí eu consigo me sentir mais bonita, mais amada, mais FELIZ! E esta, é a parte mais importante de todas! Hoje eu consigo perceber o quanto preciso que os meus dias sejam os mais signficativos do mundo, porque eu estou aqui pra ser feliz. E preciso fazer por merecer. E esse otimismo que eu construí, longe de me fazer acreditar que tudo é perfeito, me ensinou como o resultado das minhas experiências dependem de mim! Como o impacto das minhas derrotas podem ser muito mais aceitáveis se eu entender a minha humanidade! Afinal, acreditar na inexistência das falhas, das perdas, seria utópico demais. O que é decisivo, é a reação que se tem a elas. E hoje eu tô pensando que somos capazes, que podemos construir muitas coisas, que podemos vencer os obstáculos, porque juntos somos mais fortes. E os nossos sonhos de hoje, amanhã serão reais. Nossos medos de hoje, amanhã serão vencidos. Você faz eu me sentir assim... Você chegou pra iluminar ainda mais a minha vida nas noites escuras, aquecer o meu corpo nos dias de frio e me abraçar quando é disso que eu preciso. Você me traz Paz. E hoje, falar de mim, é falar de você também. Por isso os meus anseios, meus medos, meus sonhos, são nossos. Acordei assim essa manhã! Confiante que vai dá tudo certo, que o mundo não é tão complicado assim, que as pessoas podem ser muito boas e o nosso amanhã depende desse agora que estamos vivendo. E é muito bom saber que você faz parte do meu momento presente... Só assim podemos nos conquistar para que em todos os amanhãs permaneçamos juntos...

sábado, 5 de setembro de 2009

Ciclos...

Não sei se dói ou acalma, saber que a vida é feita de Ciclos... E que as nossas experiências (por melhores ou piores que sejam), inevitavelmente têm início, meio e fim. A maior verdade é que elas sempre passam. Isso tem algo de negativo, e de muito positivo também. A pessoa que você mais confia hoje, pode ser a que daqui há alguns anos, você deixará de reconhecer ou talvez, direcionará apenas um "Oi" frio e pouco significativo. Em compensação, aquela que hoje te faz sofrer e e faz parecer que seu coração vai parar de tanta dor, é aquela que amanhã terá te ensinado que ninguém morre de amor e por mais cruel que seja algum momento, ele deixa de fazer sentido e você encontra motivos para viver outros momentos (que também irão passar). O pão ou açúcar que hoje você nem sabe o preço, amanhã estará na ponta do teu lápis, porque você vai precisar começar a pagar suas contas. O valor de um abraço passa também. Aquele que hoje é o que mais te conforta, é o que amanhã pode não fazer nenhuma diferença. O trabalho que hoje você sonha é o que amanhã poderá se tornar real e você vai ver, que não é tão fantástico assim; como tudo na vida, ele também tem problemas. A professora que hoje você xinga, porque ela "te ferrou" na Unidade, (na verdade, quem se ferrou foi você) é aquela que amanhã você reconhecerá como alguém que te ensinou que a gente tá aqui pra errar também. Sua mãe que hoje não permite que você vá a festa, porque você tem aula amanhã e está com péssimas notas na escola, que hoje te reclama e não faz tudo que você quer, é aquela que amanhã você precisará reconhecer como a pessoa mais importante da sua vida, porque te ama de um jeito incomparável. A mãe que hoje você esconde o primeiro namorado, esconde os erros que cometeu na escola, que hoje você não confia pra dividir a sua vida, se você for uma pessoa sábia, amanhã reconhecerá que é a tua Melhor Amiga e talvez a única, que você pode confiar de olhos fechados. O amigo que hoje partiu pra longe e a amizade que você acha que perdeu , é aquela que daqui há 20 anos te mostrará que a distância não é capaz de acabar uma amizade de verdade. A pessoa que hoje cometeu um erro que parece imperdoável, que quebrou em pedaços o teu coração, é a que amanhã te mostrará o valor de um perdão e principalmente como esta, é uma dádiva que só pode andar lado a lado com o Amor. A morte de uma pessoa que você ama, que hoje é tão incompreensível, essa dor que machuca tanto o seu coração, amanhã se converterá em saudade, em lembrança e fará você entender que a morte só leva corpos e finda um ciclo de experiências, mas o que se guarda no coração, isso fica. E se tudo nessa vida Passa, e se temos um clichê tão real como esse, uma coisa, sem sombra de dúvidas, pelo menos uma coisa nessa vida, é eterna. É ele que resiste as maiores distâncias, aos maiores erros, a falta dos abraços ou dos beijos, das conversas, e até mesmo a morte. Por mais que você saiba que a pessoa nunca mais irá voltar, que os momentos com ela tenham chegado ao fim, aquilo que você viveu no momento devido, te ajudou a ser o que você é hoje. Te formou, e por mais que ela tenha levado um pedaço teu, muito ela deixou também. Tem pessoas que passarão a Vida inteira ao teu lado. Pode acreditar! Talvez você passe na vida dela primeiro, mas uma "Vida inteira" também termina. E chega a hora de você deixar o espaço que ocupou nesse mundo para outra pessoa. E aí o seu ciclo aqui na Terra, chega ao fim. Depois dele, várias são as teorias. Mas se o amor existe, é porque não somos só Corpo. Somos alma também! E esta, não chega ao fim, é eterna sim! E ultrapassa os limites do tempo, do espaço e é capaz de levar consigo todos os sentimentos, aprendizados, lembranças e experiências que só podemos adquirir, VIVENDO.

(Monique Santana)

sábado, 22 de agosto de 2009

É que isso me assusta...

(Prefiro não colocar nenhuma imagem para representar o que estou sentindo.) E mais uma vez estou aqui com as minhas inquietações. Sempre inquieta, pensativa, tentando e precisando entender a vida, entender porque que eu estou aqui, porque faço tudo para permanecer ou porque tantas pessoas vão embora em um dia de sol ou de chuva, numa tarde de sol ou numa manhã de inverno. Mas a verdade é que elas sempre vão. Um pouco distante dessa minha página de inquietações, mas longe de significar que nada fervilha aqui na minha mente. É só porque chega um momento em que tempo vira um verdadeiro problema! E vai chegar a minha hora de ir também. Mas não é a Morte que está me inquietando ultimamente; é muito mais a maneira que eu estou vendo ela acontecer tão frequentemente. É muito mais uma violência desenfreada contra o ser humano, contra os ensinamentos de Deus ou quem sabe, contra o próprio eu. O egoísmo deveria ser útil, pelo menos para que as pessoas se amassem mais, cuidassem mais do que realmente importa. Fico pensando e até contestando! Como que o homem é tão inteligente a ponto de encontrar a cura de tantas doenças que um dia foram incuráveis, de trazer vida para muitos que já não acreditam mais nela e ao mesmo tempo, capaz de se utilizar das suas próprias invenções para fazer exatamente o contrário? Como que alguém pode ter coragem de utilizar um instrumento tão pequeno como uma arma, contra outra pessoa até que ela desfaleça (por exemplo)? Me limito só a um exemplo, pra não correr o risco de me estender demais! Porque é isso que tenho tanto ouvido falar nos ultimos dias. As mortes violentas de tantas e tantas formas, a crueldade em suas mais diversas faces. E é isso que tanto me incomoda... E tantas outras coisas que parecem ser como um caminho que as pessoas traçam, uma plantação que regam para depois colher. Outro dia ouvi o Padre Fabio de Melo falar algo sobre a ação do Diabo em nossas vidas. (Talvez agora, eu esteja começando a partir pro lado religioso da coisa, mas não tenho problemas com isso... muito pelo contrário) Sei que alguém o questionou a respeito da existência dessa figura que parece mítica, mas que é tão real. Se você for algum cético, pode parar de ler meu texto por aqui! Sei que o Pe Fabio, tentou exemplificar a ação demoníaca que existe entre as pessoas, que são tão fracas, tantas vezes... Com a cocaína por exemplo! Algo que vicia, que mata, que empobrece (não só financeiramente, principalmente psicologicamente). Mas, você já presenciou ela criando pernas e correndo atrás de alguém? Claro que não... As pessoas a procuram! E o que as levam a procurá-las? Segundo o Pe, é exatamente em exemplo como esses que podemos entender a ação dessa figura na nossa sociedade. As pessoas são demoníacas por isso? Não... Elas são fracas! Algo que todo ser humano é. É complicado teorizar alguma coisa e dá exemplo sobre, porque muitas vezes eu posso está falando de uma realidade de alguém que lê o meu texto e a partir daí vai me achar uma moralista que tem a pretensão de julgar o que é certo e o que é errado. Mas admito, não sou ninguém para isso. E também não é o meu objetivo. Escrevo porque isso me acalma, isso esvazia as minhas inqueitações. É uma forma de desabafo. Não é pra dizer o que tá certo ou errado nesse mundo...Porque afinal, que importância isso tem? Mas eu não poderia deixar de falar o que estou sentindo agora. Isso me assusta. E novamente me preocupo com o mundo ao qual terei que apresentar aos meus filhos...
Monique Santana.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Pra mim não dá!

"'Boa tarde Pessoal!!'
E uma resposta quase susurrada, perdida la no fundo da sala, depois de alguns minutos:
'Boa tarde professora.'
Tudo pronto! Vídeos, slides, após várias pesquisas, após ter roubado um tempinho do sagrado domingo para planejar aquela aula, ter deixado de ficar fazendo nada com o Amor.. Ter ido dormir mais de meia noite pra acordar antes das cinco... Depois de 50 minutos dentro de um carro que mais parece uma lata de sardinhas, finalmente se chega naquele lugar estranho. Com um monte de gente humilde, onde a educação chega de maneira torta (a começar pelo percurso dos professores) e depois porque aquele povo aprendeu, que o importante é 'estar formado', é dizer assim: tenho meu diploma de segundo Grau. Porque o nosso país, é um país de números. A quantidade de gente alfabetizada, 'formada', é o que engradece as estatísticas. E é o que deixa o povão cada vez mais alienado, mas, voltando a historinha...
A professora ta la, com a sua aula toda planejada. E muito bem planejada.. E começa a falar... Na verdade ela TENTA fazer isso. Porque simplesmente não dá... Gargalhadas dum lado, conversas do outro, gente que estava ali, só superficialmente. E estavam afim mesmo era de atrapalhar. E conseguiram! A aula maravilhosa, ela até tentou colocar em prática no primeiro horário... Mas aí tocou o sinal, ela saiu stressada, frustrada, desanimada... E voltou no próximo horário: "Abram os livros no capítulo 12 e façam um resumo do assunto. É pra nota!" Todos se calaram, abriram seus livros e começaram a fazer de forma mecânica, o que foi pedido. Acabou a conversa, o barulho, a baderna e dessa vez, a 'aula' não teve nda de frustrante. Novamente tocou o sinal, ela saiu e dessa vez, com a sensação: Missão Cumprida! E lhe entristeceu pensar que na próxima semana, começaria tudo de novo! Mas agora, ela já sabia como agir..."
Aí eu fico me perguntando, aliás, analisando, o tipo de educação que está sendo contruída nesse país. O tipo de "cidadão", que se quer formar... Os próprios educandos são "produzidos" para se tornarem cada vez mais dependentes. Especialmente o ensino Público, de onde vem a minha experiência (mais frustrante) estudantes e educadores se tornam vítimas de um sistema que quer mesmo é escravizar. Afinal, que sentido faria, ter tanta gente realmente FORMADA? Como é que a corrupção continuaria sem contestação, a miséria continuaria sendo aceita e as pessoas continuariam votando nos representantes errados? Como é que se sustentaria a desigualdade social, que move esse país? COMO? Gente que pensa, precisa se afastar da educação. Porque não se cria condições, para que ela realmente dê certo! O professor, todo iludido (especialmente iniciantes), sonha bastante.. Mas aí quando ele entra em contato com a realidade, é jogado la pra casa da *****, tem que viajar quase uma hora, muitas vezes, vai pra outra área de atuação, e na maioria das vezes, ensina o que nem ele sabe! Já começa pela desvalorização da condição profissional do educador e só pra completar a bagaceira, (ainda bem que tô escrevendo no meu blog e não numa redação de vestibular, rs..) ele ainda encontra alunos totalmente corrompidos! Que realmente acreditam que badernar, conversar, atrapalhar mesmo é que é o certo! Afinal, eles não foram com a cara da professora mesmo, ela tem é que sofrer nas mãos deles mesmo! E sofreo mesmo... Mas é um sofrimento passageiro... Tem os que se acostumam, outros simplesmente não se importam e outros ainda, vão trabalhar com outra coisa! Eu estou no caminho desses últimos... O que eles (os alunos) não conseguem perceber (e isso me dói), é que tudo aquilo é intencional. Eles estão numa escola que não foi feita pra formar "doutor" mesmo não, e sim para aumentar os números daqueles que precisarão chamar alguém de "senhor"... E na maioria das vezes dizer amém, até porque eles não se interessam em aprender a questionar. E eles estão condenados a isso... A viver sempre naquela condição subalterna e não é por falta de tentativas que eles enxerguem o que é real. E o pior de tudo mesmo, é essa sensação de que estou sozinha nessa luta! E aí admito: Sou fraca demais. Seria até mais louvável se eu pensasse: Não vou desistir! Eu vou enfrentar, vou tentar mudar isso aqui... Mas pra mim, não dá! Chega um momento, que acabamos corrompidos também. E aí começamos a enrolar mesmo, oferecendo aquela velha aula, que eu tanto criticava quando estava na condição de aluna. E eu não quero me ver numa situação dessas! Não quero chegar a começar a ir ali, só pra não ganhar uma falta que será descontada no meu mísero salário no final do mês. Eu preciso fazer aquilo que eu acredito. Mas eu preciso de dinheiro também. A vida não perdoa, você tem que se virar em algum momento. Só que, os mais inquietos e ate desiludidos, acabam partindo pra outra! Vão estudar mais, fazer um concurso público, pra trabalhar menos, ganhar mais e ser mais reconhecido. Algumas vezes, até pra ganhar tanto quanto, mas para serem mais respeitados... ou pelo menos, não se tornarem tão frustrados! Alguns, por amor, permanecem na profissão. Outros, por comodismo. Eu, estou entre as inquietas. E me amo demais, pra me condenar a isso. Porque é assim que estou vendo a situação. Acredito que a educação verdaeira pode sim mudar esse país. Pessoas educadas, não apenas no sentido estético da expressão, podem sim construir um mundo melhor! Só que, sinceramente, pra mim não dá! Não nesse momento... Eu, como tanta gente, pretendo seguir por outro caminho. Mas é como a questão do meio ambiente, da água... Se eu não faço nada agora, que mundo estou construindo para os meus filhos? E mesmo assim, espero que em breve, eu finalmente consiga seguir por outro caminho... E quanto aos meus filhos, que me perdoem desde já! =/
Monique Santana.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Sobre o Frio...

Tão bom um friozinho né?
Pra dormir, pra ganhar um cafuné ou pra ficar abraçadinho não tem coisa melhor!
É meio chato pra sair de casa...Pra ir pro trabalho, pra faculdade... Ai como é chato! Mas aí é só pegar uma blusinha de frio pra diminui-lo, um guarda chuvazinho pra amenizar a molhação e dá pra fazer o percurso direitinho... Mas é chato, porque sempre chego em casa parecendo um pintinho molhado... As vezes pego logo um resfriado!!! Ter que esperar o transporte pra voltar pra casa naquele lugar estranho, onde não tenho pra onde ir, nem em quem me apoiar... Ontém foram quase 40 minutos tomando chuva e eu pedindo a Deus pr'aquele bendito carro chegar logo e eu poder finalmente não me molhar mais. Aí quando chego em casa, fica tudo bem. Minha cama e meu cobertor, parecem estar só me esperando! Mas ontém, na volta pra casa (na chuva), passei por uma pessoa que dormia no meio da rua. estava lá toda encolhidinha debaixo do cobertor e provavelmente passaria ali a noite toda! Um ser humano, que tem as mesmas limitações que eu, que sente frio, que pensa na vida, que sente fome e precisa saciar tudo isso. Poxa, aí eu penso o quanto que sou egoísta! Desde quando penso no friozinho que é bom, (enquanto taaaanta gente sofre com ele) até quando reclamo por alguns minutinhos na chuva e por ter que chegar em casa toda molhada! Só o fato de ter uma casa pra chegar, já é uma grande dádiva! Imagine o conforto da minha cama e do meu cobertor... Nossa, tanta gente gostaria de passar apeanas alguns minutos na chuva!
Fico imaginando a moral daquela pessoa que dormia ali naquela calçada onde é que fica... Gente que considera apenas acordar vivo no outro dia, como o maior dos presentes! Porque a vida é um verdadeiro Milagre! Não só para elas, para nós também... Mas quanto mais se tem, menos se valoriza (Com raríssimas exceções)... Quantas vezes não imaginamos que estamos pagando algum pecado pela vida que temos? Quantas vezes não nos desesperamos diante dos problemas, como se eles fossem os maiores do mundo? Quantas vezes condenamos as pessoas pelos erros que elas cometem? Agora, quantas vezes a gente olha pra dificuldade do nosso vizinho? Do nosso próximo? Quantas vezes lembramos que também erramos quando alguém nos magoa? E que em algum momento também precisaremos de um perdão? Quão Individualistas que somos... Vê uma desumanidade como aquela, me fez rever a minha postura... Parei de olhar para dentro e comecei a olhar pra fora de mim! Quantas pessoas não gostariam de estar no meu lugar nesse momento? Ter as oportunidades que tive, ter em quem se aopiar, em quem se espelhar! Quantas pessoas não vivem absolutamente sozinhas, esperando por um pouco de atenção, por alguém que lhe dê a mão e dê algum sentido a sua vida... E aí só pensando por esse lado, é que comecei a agradecer incansavelmente por tudo aquilo que eu tenho e que eu sou.. E mesmo assumindo uma posição ainda individualista, pelo menos parei de reclamar... Consegui enxergar com ainda mais clareza tudo de maravilhoso que tenho em minha vida, mas comecei a pensar também o que que eu posso fazer por pessoas como aquela que vi ontém... Só de imaginar que existem algumas que não tem nem o cobertor!! =/ Isso acabou me inqueitando muito... E espero que te inquiete também!
Quem sabe não pensamos juntos numa medida a ser tomada? Porque eu nem sei por onde começar...
Monique Santana.

sábado, 4 de julho de 2009

Pra você!

Hoje decidi que quero escrever algo sobre o Amor. E quanto mais eu penso no que falar, mais amplo o tema fica. Existem tantas formas de Amor e de Amar... Para escrever num texto só sobre todas elas, eu precisaria de mais tempo (e eu tenho ali inúmeras avaliações para corrigir, além de uma monografia a produzir e um estágio a administrar.. rs), como se vê, não tenho lá esse tempo todo... Quem sabe daqui há alguns dias? Essa agonia vai passar! Ah vai... rs Bom, mas como é mais difícil falar de todos os meus Amores, vou falar de apenas um. Que é aquele que passamos algum tempo procurando, mesmo sabendo que o segredo é "não correr atrás das borboletas..." Eu tive a sorte de encontrar! Infelizmente, não posso garantir que vai ser pra sempre ou que esse amor vai resistir a todos os obstáculos; o que posso, é torcer por isso e pedir a Deus, que Ele permita que o nosso amor continue crescendo, durante todo o tempo! Hoje vou falar desse menino de nariz amassado aí da foto. Que é uma pessoa que admiro demais e por quem sou perdidamente apaixonada! Um amor que nasceu de inúmeros olhares, inúmeros abraços, inúmeros beijos, inúmeras conversas, inúmeras discussões, inúmeras fugas até. Não foi a primeira vista... Ele era o menino mais insuportável da minha sala na 5ª série colegial e nesse tempo (há quase onze anos atrás), pelo menos as nossas primeiras discussões aconteceram. E precisamos crescer bem separados, e nos tornamos praticamente invisiveis um na vida do outro durante quase dez anos! Mas aí Deus fez com que nos encontrássemos novamente. Na hora mais certa... E aí nos aproximamos, nos enrolamos, tentamos fugir (ele, principalmente), mas acabamos apaixonados! E dessa paixão, construímos um grande amor, que não permite que fiquemos mais separados. Chegou a nossa hora!
E ele tem sido uma verdadeira Luz em minha Vida. Mas não é uma luzinha simples, dessas assim que a gente usa durante a noite, para parecer dia. É algo bem mais parecido com o Sol. Aquela luz que não só ilumina, mas que aquece também... E não só o corpo, mas principalmente a alma. E mesmo quando se esconde, encontra um jeito de se fazer presente. De uma maneira menos forte, só que algumas vezes até mais bela. Se o Sol usa a Lua para fazer isso, ele usa o meu coração. Com ele, eu comecei a entender e principalmente a viver, isso que eu ouvia tanta gente chamar de Amor. E descobri que esse amor não é perfeito; de humano que ele é, tem defeitos. De humano que ele é, não me faz apenas sorrir, me faz chorar também.
E me ensina a perdoar! Uma vez li em algum lugar, que as pessoas que mais amamos na vida, são aquelas que mais perdoamos! Porque os erros fazem parte da nossa vida. E eles nos moldam, nos ensinam, fazem com que a gente cresça! Ele me fez entender que nem todo amor é incondicional, como eu defendia. Porque este, definitivamente, não é. Ele precisa ser regado, precisa de contato, de paciência, de aceitação... E a gente tem cumprido isso direitinho. Nosso amor só cresce, com o tempo! E aí tô aprendendo a vê-lo (o tempo), não apenas como aquele que cura todas as feridas, mas como o que constrói as nossas bases mais sólidas... E quando olho para trás, penso: Como posso amar tanto alguém que passou a existir na minha vida há tão pouco tempo?! E amá-lo assim, pelos motivos mais banais, por ele me pirraçar, e rir da minha cara quando estou realmente com raiva; ficar do meu lado, mesmo quando exagero no ciúme; por ele acabar se chateando comigo só pra depois eu poder abraçá-lo bem forte e sentir que é assim que eu fico bem... E aí mesmo morrendo de raiva ele diz: "não faz assim", e aí olhamos um pra cara do outro e simplesmente começamos a rir! E sempre chega a hora que alguém diz: "Vamos parar com isso?" e a gente sempre para... "Que seja eterno enquanto dure... E que dure, para sempre!"
Que continue abençoado por Deus... Que esse amor continue assim apaixonante por toda vida!
E que esse mesmo tempo que construiu o nosso amor, seja responsável pela realização dos nossos sonhos e que saibamos sempre viver isso que Deus preparou pra gente! Porque só pode ser d'Ele um sentimento puro assim...
Sua Formiguinha.
"Nunca se esqueça nenhum segundo, que eu tenho o Amor maior do Mundo..."

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Mãe, te amo!

Ultimamente passamos por muitas juntas. Aliás desde sempre. Não consigo me lembrar, mas sei que eu já a amava desde quando minha morada era o seu ventre. Mas lembro perfeitamente de como seu colo era o lugar mais confortável para aliviar as minhas dores ( eainda o é) e como o seu olhar me dizia que ela pedia a Deus para que o que fosse dor em mim, se transmitisse para ela. Como o seu amor conseguiu fazer da minha infância uma época que deixaria saudades, mesmo com todos os problemas que já existiam e que ela sempre me poupou. Ela é quem me ama incondicionalmente e sabe conviver com os meus erros, com as minhas falhas e todos meus defeitos. Ela que não me reprime mesmo nos meus erros mais graves e que me ensina sempre através do amor. Quem tem a maneira mais bela de me admirar, que chora junto comigo se for preciso e vibra comigo as minhas vitórias. Minha mãe, minha Vida, meu Grande e mais Sincero Amor. É por ela que eu sonho em me tornar uma pessoa melhor. É o pedaço de mim, que nunca se enfraquece e tudo que passamos juntas, se torna mais aceitável. E eu tenho a mais completa certeza de que sem ela, nada disso faria sentido.Se eu pudesse descrever o significado de uma Mãe, ela seria a tradução mais perfeita. Alguém que sempre foi minha melhor amiga, que confia em mim, acredita nos meus sonhos e nos caminhos que penso em trilhar. Que sabe perfeitamente que ser Mãe não é só reclamar quando se está errado e querer os melhores caminhos é saber como ensinar a resolver os problemas e não me fazer acreditar que eles podem ser inexistentes. É ela que está aqui do lado de dentro de mim, dentro do meu coração me acompanhando em tudo; e do lado de fora também; que sabe utilizar a Vida para me mostrar o que é o Amor, o que é Perdão, o que é Responsabilidade, Humildade, Sinceridade. Ela que me ensinou a sonhar com honestidade para que eu pudesse me tornar digna dos meus sonhos. Que está sempre pronta a me ouvir e faz de tudo pra tentar me entender.
A verdadeira tradução do que é o Amor.
Um amor puro, que sabe perfeitamente que pode vencer todas as barreiras. Minha mãe, minha Vida. A mulher que mais admiro nessa vida. Que ouve os meus conselhos, como se os seus 30 anos de experiência a mais do que eu, não significassem nada! É ela, quem dá sentido a tudo que faço e tudo que quero realizar. É com ela que converso, como se estivesse falando comigo mesma; quem está ao meu lado mesmo nos momentos de maior solidão. Principalmente nas minhas maiores tristezas. Quando estou feliz, ela vibra junto comigo, mas não vê o menor problema em sorrir sozinha enquanto eu, ingrata, estou sorrindo ao lado dos amigos, meus presentes de Deus. Ela que sempre diz, que os filhos foram feitos para o mundo; mas ela é quem mais sabe que nunca vai me perder pra ele. De menininha que não dormia sem a sua companhia, me tornei uma mulher independente. Que sabe o que quer, por onde pisa; por mais que a vida arme algumas armadilhas inescapáveis. E isso, devo a ela. Caio, mas levanto sempre. E quando olho pra cima ou para o lado, onde quer que seja, é ela quem está ali, me dando a mão e me dizendo: Coragem minha Filha, a vida é isso mesmo. Por mais que estejamos separadas ficiamente a quilômetros de distância, eu consigo ouvir a sua voz, que silenciosamente vem me dizer que nada é tão dificil quanto parece e que sou forte o suficiente. E aí entendo que sou mesmo. E essa força vem do nosso amor que me guia e faz de mim essa eterna menina cheia de sonhos e fantasias; e principalmente, uma mulher decidida que teve sempre em quem se espelhar.
Te amo Mãe!
(Monique Santana de Oliveira)

sábado, 27 de junho de 2009

Apenas um dos males...

Ja tem um tempinho que estou tentando escrever sobre uma coisa que vem martelando na minha cabeça, mas sempre que tento expressar, me faltam as palavras. Não sei se porque não sei mesmo nomear o que sinto, ou se porque eu talvez nem sinta, só pense a respeito!
Sempre travo nessa parte do texto, e aí parei um pouquinho e fui visitar alguns blogs! Agora que estou de volta, já sei o que tanto me inquieta... Li algo sobre solidão, sobre as suas consequencias, suas expressões... E pensei: É isso! Lembrei do que Renato Russo ja dizia no século passado: "O mal do século é a Solidão." Ele tinha toda razão! E o mal desse nosso século ainda é a solidão. É ela que tanto me incomoda e me aflige. Mas agora eu sei que não a sinto... Realmente só penso a respeito. Mas de alguma forma, por vezes até bruta e desumana, ela vem a me afetar. E com certeza, não só a mim. A solidão, aliada a tantos outros sentimentos é que faz os contornos desse nosso mundo. Me limito a falar apenas dela, sem querer cupá-la por tudo, mas...É a solidão quem leva um irmão, um pai, uma mãe, um filho ou filha, um amigo ou amiga numa esquina qualquer da vida. É a solidão que deixa os presídios cada vez mais super lotados. Ela que deixa os corações cada vez mais vazios, retirando ou afastando pra bem longe o que é amor, esperança, gratidão, caridade, humildade. É ela que faz com que as pessoas procurem companhia cada vez mais no álcool, e em todos esses tipos de drogas com nomes variados e efeitos semelhantes. Longe de tentar acusar essas pessoas ou dizer, que elas são culpadas, pelos caminhos que acabaram trilhando. É facil viver na comodidade de ter um trabalho, uma familia, uma rede de amigos fantastica, um traballho; ter em quem pensar, saber por onde se quer andar e conseguir realizar os nossos sonhos, tantas vezes tão egoístas e individualistas. Mas que mal tem nisso? Sonhar agora é pecado? Nunca foi... Mas e quem não tem nada disso? E quem olha para o lado e ve como a vida foi cruel, levando pais, amigos, fechando as portas para o amor, para o sonho de ser pai ou mãe, e precisa se contentar com o pouco que a vida lhe deu... As vezes, sobra dinheiro e ai, é que se percebe como que por si só, ele não é suficiente. Outras vezes, falta dinheiro, mas não falta quem te dê a mão e quem te mostre a grandiosidade de um abraço, de um sorriso. Mas as vezes, a falta brusca desse mesmo dinheiro, que traz a fome, a doença, as lágrimas, a tristeza e retira o sorriso dos lábios de uma criança, é ela que isnpira mais uma vez a solidão. Mas esta, é uma solidão diferente, que nasce no coração daqueles que de alguma maneira e por inúmeros motivos (Nossa História que o diga), foi privado de ter uma vida digna e de todos os direitos que estão lá, bonitinhos na Declaração Universal dos Direitos Humanos... Será que tem algo realmente universal nessa vida?! Direitos, então? Estão aí para alguns poucos. E a gente pode até pensar: E o que é que eu tenho a ver com isso?! Infelizmente, muitos precisarão ser vítimas dessa solidão alheia (não só solidão), para entender "a parte que lhe cabe neste latifúndio"... "O mal do século é a solidão." E mesmo que você seja a pessoa que tem mais companhia nessa vida, esse mal te afeta também.
Monique Santana de Oliveira.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Para os erros, o perdão?

Hoje, parei pra pensar na minha Vida e ate tentei imaginar como seria, se ela fosse construída sem erros. Erros meus, erros seus, erros nossos. Por um momento, eu achei que ela seria fantástica! É tão fácil aceitar que quem a gente ama só nos faz feliz, que faz tudo certinho, que não pisa na bola e tá sempre ali do nosso lado! Na verdade, é bem fácil amar assim. Difícil é quando a gente percebe que Shakspeare tinha toda razão quando dizia que até as melhores pessoas irão errar... E precisamos aprender a perdoá-las por isso!! De todas as coisas que aprendi, ao me apaixonar por Cristo, Braço Forte, a mais dificil de todas elas, foi aprender a perdoar. Porém, a mais bela... Meu coração não quer permitir que as pessoas que eu tanto amo nessa vida saiam dele, por conta dos erros que elas cometem! Porque quem não erra? Por isso, aprendi o valor de um perdão e como ele pode transformar os dias tristes e vazios, pensando naquilo que me fizeram de ruim, em dias de felicidade ao lado da mesma pessoa, quando descubro que meu amor não diminui só porque as pessoas erram. Muito pelo contrário! Só quando aceito uma pessoa com todos os seus defeitos é que posso medir o tamanho do meu amor. É que posso perceber, que eu estou cercada de seres imperfeitos (como eu) e esperar que eles me agradem sempre, é pedir demais. Existem erros que são imperdoáveis? Talvez não exista amor suficiente...No entanto, eu também erro. E erro feio, piso na bola, com muita gente. Mas nem sempre encontro quem vai me perdoar por isso! Mas não me atrevo a duvidar do amor de quem simplesmente prefere deixar de existir na minha vida... De quem ver passar o meu aniversário e não me dar sequer um abraço, nem que seja virtual. De quem não está mais ao meu lado para me confortar com um abraço ou com um simples "Bom dia"... De quem não se alegra mais com as minhas alegrias, nem muito menos se entristece com as minhas tristezas... E me impede de fazer isso por elas também!! E faz com que eu sinta que os meus erros, as vezes podem levar um pedaço de mim. E eles já levaram muitas vezes. Só que o mais chato mesmo de tudo isso, é que esses espaços vazios acabam sendo preenchidos em algum momento, que ninguém sabe onde, nem quando. Até porque tem gente que por mais que se vá para sempre, deixa um pedaço de si comigo que jamais poderá ser apagado. Esse sentimento de perda, dói. Dói muito. Mas toda ferida, um dia cicatriza. E o que vai sempre ficar em mim são as boas lembranças e o desejo mais profundo em meu coração, que todas essas pessoas que já passaram e deixaram marcas tão fortes em minha vida, encontrem pessoas melhores do que eu... Que vão errar também, mas que talvez sejam perdoadas! Porque o amor é paciente. Ele não é egoísta, tudo ele pode superar! Até mesmo as mais longas distâncias, os mais frios sorrisos, ou os abraços, hoje inexistentes, que nunca mais voltarão...
Texto: Monique Santana Foto: Thiago Maia

sexta-feira, 24 de abril de 2009

"Tudo Muda o Tempo Todo no Mundo."

É interessante observar a incrível capacidade de transformação do ser humano... Ainda mais fascinante é olhar para dentro de você e perceber que os dias passam e realmente: Você é capaz de superar os seus medos, mudar os seus conceitos e trocar os caminhos pra preservar sua felicidade. Em determinados momentos da vida você é tão severa(o) consigo mesma(o), que o seu melhor não lhe é suficiente. Aí o sofrimento se torna inevitável. Isso acontece porque você parece insistir em assumir uma posição de mera(o) telespectadora(o) diante da sua própria vida. Para quem sofre, parece muito insensível afirmar que até o sofrimento é uma questão de escolha... O questionamento mais comum seria: "E quem é que escolheria sofrer nessa vida?"... As vezes nós mesmos fazemos essa escolha e não conseguimos enxergar! Regra nº 01: Acredite mais em você do que no seu destino! O destino faz parte do platônico mundo das idéias. você é que faz parte de um mundo real. Que por sinal, não perdoa os seus erros e suas falhas. Quando você tropeça e cai, inevitavelmente, isso vai doer. Os idealismos não... Na nossa mente só sobrevive aquilo que a gente cultiva... E aí vem: Regra nº 02: Pense positivo! "Perto de toda positividade a onda boa se propaga no ar." Nossos pensamentos são tão decisivos para nossa existência, que eu posso te garantir: A gente é o que a gente pensa. Pensamentos negativos adoecem o corpo, o coração e até a alma! Há quem diga que o melhor mesmo é esperar o pior das situações, porque fica mais fácil aceitar quando isso acontece! O que não se leva em conta, é a parte mais importante: O momento presente! Você se preocupa tanto com algo que ainda não aconteceu, fixa seu pensamento num futuro que você nem tem certeza se irá se concretizar, que acaba esquecendo de estar de bem consigo mesmo, na parte mais certa da sua vida: O presente. E como uma puxa a outra, vem a Regra nº 03 (e última por hoje): Concentre-se no seu presente. Ninguém te garante que você realmente tem um futuro. Por mais catastrófico que isso possa parecer, você pode simplesmente perder a sua vida a qualquer momento... Então aprenda que o mais importante é saber reconhecer o quanto se é feliz, com o que você é e tem e não projetar sua felicidade para o futuro, deixando que ela dependa sempre de coisas que você ainda vai realizar. Encare suas conquistas como um complemento e não como a condição para sua felicidade. Aliás, evite fazer de alguém ou de alguma coisa a razão única da sua felicidade... Ela é um conjunto. E quando algum elemento agoniza, os outros precisam está lá para não te deixar vazia(o). (Pois, pode ter certeza: Tudo acaba chegando ao fim em algum momento.) Devemos nos aceitar como somos não por comodismo e por aceitar passivamente os nossos problemas, mas por entendermos que eles sempre passam e que a felicidade está dentro de nós! Não adianta procurá-la eternamente no mundo externo. Talvez você já tenha aprendido todas essas Regras teóricas na escola da vida. Mas eu aprendi também que posso até ser uma excelente aluna nessa disciplina, se eu não encontro um jeito de aplicar, na prática... O aprendizado se torna inútil! Palavras, não passam de palavras. Viver ultrapassa isso...Estou numa fase de experiência e adaptação. No início é estranho e difícil perceber como precisei mudar e abrir mão de coisas que eu julgava essenciais, mas os valores também mudam. As mudanças amedrontam, mas são necessárias. Isso porque as circunstâncias da vida se modificam constantemente... De uma forma ou de outra, precisamos aprender também a seguir o seu exemplo.
Texto: Monique Santana.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Virtude ? !

Sinceridade, ao meu ver, sempre foi uma das maiores virtudes do ser humano. No entanto, as implicações impostas por ela, por vezes, machucam, ofendem e até afastam as pessoas de mim. É bem racional e prático quando pensamos: "Ah, a verdade é sempre a melhor opção e se eu afasto alguém de mim por esse motivo, é por uma boa causa..." Mas eu não estou mais tão certa disso... Eu estive pensando... As vezes, chego a ser cruel! Principalmente com as pessoas que mais amo. Parece algo tão paradoxal, mas é a maneira que eu considero mais eficaz de mantê-las perto de mim e o jeito de cuidar para que o que exista entre a gente seja suficientemente forte, capaz de transcender aos obstáculos que a vida prepara... E isso só é possível, quando se trata de algo efetivamente verdadeiro... Cobro de mim mesma, uma sinceridade que me foi negada em vários momentos da minha vida. Com palavras doces e passageiras, já me ajudaram a construir mundos extremamente fantasmagóricos; mas no manual, não vinha dizendo como era que eu devia fazer se por acaso aquele mundo começasse a desabar... O que usar para evitar o desmoronamento? Não me avisaram que a ruína era inevitável, que a base não era sustentável... Não me deram uma pista nem mesmo de um lugar que eu pudesse ir, para me proteger da degradação, ou pelo menos para que as pancadas fossem mais leves... Aí eu me vi, tentando reconstruir o que já estava aos pedaços, que não resistia nem mesmo a um sopro do vento... Nessa tentativa, eu me machuquei bastante, os ferimentos pareciam irreversíveis... E não me avisaram nem mesmo, onde eu poderia ser remediada... Qual era a farmácia da vida que eu poderia encontrar aquilo que cicatrizaria tão grave ferimento! Foi justamente nesse caminho, nessa procura de solução para as dores tão fortes, que encontrei as pessoas que tanto amo nessa vida... Eu tive que descobrir sozinha o que eu deveria fazer, a quem eu deveria recorrer... E foi aí, que eu comecei a construir o meu mundo e ainda permaneço nessa construção... Mas eu pretendo construir algo forte o suficiente para resistir a furacões, tempestades... Eu acabei descobrindo que tudo aquilo que eu mais preciso está primeiramente, em mim... Se eu faço de algo ou alguém a razão única da minha felicidade, acabo me frustrando... Acabei descobrindo também, que aqueles momentos mágicos, naquele mundo tão utópico, não eram tão mágicos assim... Mas também, não desconsidero nada do que vivi... Foi realmente tudo muito bom enquanto durou! Acontece, que o que existe de mais fundamental, não existia: A tal da sinceridade! Por essa razão, o que tento, é evitar que eu seja na vida de alguém, essa doçura, esse encanto... Mas ser algo efêmero... Dizem por aí, que nada dura para sempre, que tudo na vida é passageiro... Mas eu, particularmente valorizo e acredito nas coisas eternas... E sei que existem pessoas, que de uma forma ou de outra, me levarão sempre com elas... Assim, como estarão sempre em mim! Todavia, para isso, eu preciso construir, acima de tudo, coisas verdadeiras! Por causa das minhas experiências, hoje tenho necessidade de ser integralmente verdadeira em tudo que eu faço e que eu sou... É por isso que as vezes "exagero" principalmente com as pessoas que eu amo... Elas, são o meu mundo e eu que tenho que cuidar, para que elas sejam reais! Eu não posso e nem quero, construir um mundo de ilusões como um dia já fizeram comigo... E com certeza, ainda farão! Pode até ser que a dor seja menos forte, mas eu não vou deixar de acreditar nas "boas intenções" das pessoas, por causa das minhas frustrações em outros momentos da minha vida... E como diria Khaled Hosseini, "Esse, é o problema das pessoas que são sinceras: Achar que todos também o são." Talvez, esse seja o meu problema.. Mas, foi me arriscando que eu encontrei a minha base, quando as coisas pareciam mais complicadas do que realmente eram... Eu preciso cuidar de tudo que faz de mim quem eu sou e não é da minha personalidade, gostar das coisas lindas e encantadoras, que só se mostram positivas... Mas que são ilusórias! Eu sei, que a minha sinceridade demasiada, foi a causa da distância de algumas ou de muitas pessoas na minha vida... Não porque elas não me amassem, e nem sempre porque elas não eram verdadeiras... Ainda corro o risco de perder muito mais... Pode haver algo de negativo até mesmo naquilo que eu mais prezo no ser humano... Mas eu não quero [e nem saberia] mudar!Eu sou covarde demais para pelo menos cogitar a idéia de que um dia posso constatar que as minhas conquistas e crenças, não passam de hipocrisia...
Texto: Monique Santana.